dom. ago 18th, 2019

Opinião: Beth Carvalho “não deixa o samba morrer” ao fazer show histórico deitada no Rio de Janeiro

3 min read

A imagem da cantora Beth Carvalho se apresentando deitada, por conta de problemas de saúde, ao lado do grupo Fundo de Quintal, na noite do último sábado (1º), no Rio de Janeiro, é uma mostra gigantesca da força que o samba (ainda) tem. O fato, inédito e histórico, deixa claro que, mesmo passando por diversas situações complicadas, a sambista “não deixa o samba morrer”, como diz a música de Edson Conceição e Aloísio Silva, e escancara a declaração de amor e resistência da grande artista que não perde o prazer de cantar e encantar.

Lutando há dez anos contra problemas na coluna, Beth Carvalho, que cada vez mais tem a mobilidade reduzida pelos efeitos da doença, fez questão de permanecer no palco durante toda a apresentação especial do show “Beth Carvalho encontra Fundo de Quintal – 40 anos de pé no chão”, uma homenagem ao álbum de 1978 da cantora.

Em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, Beth Carvalho revelou que quase não fez o show por conta das dores, mas fez questão de presentar o público e que a única exigência seria um haise longue,  uma espécie de sofá-cama alocado ao centro do palco da casa carioca KM de Vantagens Hall, usado por ela para deitar após um período de apresentação sentada.

Cantar deitada, em tese, faz com que a emissão da voz fique bastante prejudicada, muito por conta da respiração desconfortável e do controle mínimo do diafragma. Beth Carvalho, no entanto, deu de ombros para todos os empecilhos, acho o tom mais favorável para a situação e tirou de letra a apresentação, mostrando mais uma vez que, se depender dela, o “samba não irá morrer”.

Uma das imagem mais marcantes da histórica apresentação é do músico Rildo Hora, produtor responsável pelo álbum De pé no chão e de outros vários discos de Beth Carvalho e de astros do samba como Zeca Pagodinho, tocando gaita e olhando para a sambista deitada no haise longue.

A forte imagem da mulher guerreira, batalhadora e especial que Beth é, deitada e, mesmo assim, se apresentando em um palco de espetáculos, como fez durante toda a carreira, é pura e simplesmente uma mostra do cantar valente da sambista, que emocionou os presentes em diversos momentos, principalmente ao cantar o grande samba “Agoniza mas não morre”, composição de Nelson Sargento.

E apesar de toda a dor sentida durante todos esses anos, compartilhada por nós, fãs e admiradores, Beth Carvalho faz questão de seguir em frente, mesmo com tantos obstáculos, para seguir à risca a frase composta pelos amigos Arlindo Cruz, Sombrinha e Luiz Carlos Da Vila que dá título a música “O show tem que continuar”.

O samba tem que continuar! #BethCarvalho #FundodeQuintal

Uma publicação compartilhada por Bárbara Motta (@barbconsoli) em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.