Reedição do projeto Samba Cura reúne os maiores nomes do samba em evento cheio de homenagens

Reedição do projeto Samba Cura reúne os maiores nomes do samba em evento cheio de homenagens

Projeto idealizado pelo cantor, músico e compositor Leandro Lehart em 1997, o Samba Cura, junção dos principais nomes do samba e do pagode do país para a gravação de uma música cuja renda total é revertida para o ITACI, hospital especializado no combate ao câncer infantil, ganhou uma nova versão esta semana após quase 20 anos.

Assim como aconteceu na década de 90 (assista no vídeo abaixo), a música Noite Fria foi mais uma vez cantada, desta vez por nomes como Lecy Brandão, Jorge Aragão, Arlindo Cruz, Reinaldo, Thiaguinho, Netinho de Paula, Demônios da Garoa, Luiz Carlos, Salgadinho, Pinha, Turma do Pagode, Ivo Meirelles, Pixote, Almirzinho, Revelação, Samprazer, Belo, Originais do Samba, Inimigos da HP, Sambô, entre diversos outros nomes do gênero, sendo que boa parte já havia participado da primeira gravação.

Padrinho de toda a ideia, Leandro Lehart resume a história do Samba Cura e se emociona ao falar do resultado do primeiro projeto e da expectativa da nova edição. “Sabe quando você tem a necessidade de dizer obrigado por tudo aquilo que você conquistou? Então, era isso que eu queria fazer. Então eu descobri a ação solidária e tive um estralo para fazer algo pro eles. Este hospital (ITACI) não existia em 1997 e minha missão, como cidadão, era chamar os amigos artistas para fazer um disco e ajudar de alguma forma e foi o que fizemos. E logo depois do primeiro Samba Cura, com 36 artistas, conseguimos comover os governantes, a sociedade civil, e as pessoas doaram. Até que, em 1998, pegamos o terreno aqui, do Prefeito, e, graças a Deus, em 2001, o hospital ficou pronto”, disse o cantor, que complementa. “A ideia de fazer uma nova edição é conseguir ajudar ainda mais os necessitados, com novos leitos, medicamentos e todo o tratamento necessário e eu estou muito feliz por tudo isso que está acontecendo”, finalizou.

Apoio de peso nos 20 anos de Samba Cura

O evento, que este ano contou com a participação do cavaquinista Marcelinho (foto abaixo), da Turma do Pagode, como um dos organizadores ao lado de Leandro Lehart, aconteceu no dia 23 por ser o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil. Marcelinho, aliás, conta como tudo aconteceu para a parceria dar certo.

“Eu tenho um grupo de whats app que fiz com uma galera do samba e na virada do ano eu falei com eles que precisávamos fazer algo para reunir todo mundo. Dai eu lembrei, obvio, do Samba Cura. Na época, foi algo muito exposto e eu curti muito, apesar de ser muito novo. Pensei em falar com o Leandro para fazer um remake do Samba Cura e, caso ele não conseguisse, por conta da correria, eu tocaria sozinho. Eu fiz o convite e ele lembrou que completaria 20 anos. Ou seja, unimos o útil ao agradável e deu tudo certo”, Marcelinho, da Turma do Pagode.

dodomarcelo

Completando 25 anos de Pixote, o cantor Dodô, vocalista do grupo, também foi um dos artistas presentes e fala da emoção de poder ajudar tantas pessoas apenas com a sua voz. “Felicidade mais uma vez de reunir todo mundo. Nosso seguimento precisa disso ai. Já fizemos isso em 97 e fico feliz em fazer parte agora com essa nova geração. Eu estou novo, não estou velho não. Eu estou muito feliz e é uma satisfação total. E vamos cantar que o Samba Cura”, disse.

Quem também deu as caras no evento foi o cantor Sebá, do grupo Inimigos da HP. Lisonjeado pelo convite, o pagodeiro conta como “convocado” a participar do Samba Cura. “O convite veio do Leandro. A gente sempre participa desse tipo de ação. É uma coisa que a gente acha primordial fazer. A gente tem um poder de comunicação forte e isso fica mais simples para pedirmos ajudas para esse tipo de evento e ajudar os mais necessitados”, afirmou.sambacura

Filho de Almir Guineto, um dos homenageados do Samba Cura, o cantor Almirzinho, ex-Revelação, também esteve presente e conta como surgiu o convite para participar da ação solidária. “O Leandro é um cara abençoado por reunir toda essa galera. Eu fui espero por montar um apartamento em São Paulo, mesmo morando no Rio. Apesar da correria, o Leandro me ligou, cantamos juntos no domingo, e vim para ajudar a todos que precisam”, Almirzinho.

Novato entre os sambistas e pagodeiros, o jovem Hugo Rafael, novo vocalista do grupo Sambô, disse estar completamente emocionado com o convite feito pessoalmente por Leandro Lehart. “Pra mim é muito gratificante fazer parte do Samba Cura, tendo esta chance de ajudar essas pessoas com nosso dom e também nosso tempo. Esta aqui é a grande satisfação do Sambô a estar disposição para ajudar todos aqueles que precisam”, afirmou.

belomumu

Um dos mais bem humorados da nova geração do samba, o cantor Mumuzinho brinca com a participação no Samba Cura, mas também se emociona ao falar da ajuda ao próximo. “Era muito moleque em 1997, lembro de pouca coisa. Mas, brincadeiras a parte, o Leandro mandou o convite e na hora eu disse que estava junto. É uma honra para mim participar de algo desse tipo”, disse.

Já o cantor Belo, veterano de Samba Cura, conta que não tinha como dizer não para um amigo como Leandro Lehart. “Então, eu participei do primeiro, em 1997, e estar retornar agora é um grande presente. O Leandro é um grande defensor disso tudo e estamos sempre do lado dele”, disse.

No vídeo abaixo, publicado no Instagram do Salgadinho, uma trecho do novo vídeo

Na minha opinião, um dos dias mais importantes para o Samba #sambacura #curaocancer #curaparaocancer

Um vídeo publicado por Salgadinho (@salgadinhooficial) em

Um dos mais experientes da turma, o cantor Jorge Aragão é um dos únicos da velha-guarda do samba que não participou da primeira edição e explica o motivo. “Tenho que dar uns cascudos no Leandro, pois ele não me chamou da primeira vez. Estou brincando. Em 1997, eu estava no exterior, então não participei. Hoje, conhecendo mais e sabendo mais sobre tudo isso, parece que não tem outra coisa que possa me deixar mais feliz do que isso. Cantar apenas um trecho de uma música eu posso ajudar tanta gente. Por isso que o Samba Cura”, disse.

No meio do bate-papo com Jorge Aragão, Marquynhos Sensação interrompeu a entrevista para dar um abraço no seu padrinho de samba e dizer o tamanho de sua felicidade ao participar do Samba Cura. “Eu estou emocionado por duas vezes. Participei em 97 e 20 anos depois estou de volta. A gente do samba luta muito contra tudo e contra todos e isso é muito bom”, afirmou.

whatsapp-image-2016-11-23-at-16-30-44-2Homenagens

Além da gravação da n0va versão de Noite Fria, o evento ainda teve algumas homenagens aos principais nomes do samba e do pagode. Arlindo Cruz, Lecy Brandão, Jorge Aragão, Luiz Carlos, e Reinaldo, o Príncipe do Pagode, foram alguns dos artistas que subiram ao palco do Samba Cura para receberam um troféus das mãos de Leandro Lehart.

Outros grandes nomes que foram homenageados, de uma forma póstuma, foi o cantor Márcio Sério, morto este ano, e o Seu Arnaldo, ex-Demônios da Garoa.

Veja abaixo um resumo do Samba Cura contado por Leandro Lehart

About author

Luiz Teixeira
Luiz Teixeira 223 posts

Luiz Teixeira, 27 anos, é formado em jornalismo, com especialização em produção e apresentação de telejornal, desde 2009, pela Universidade Anhembi Morumbi. Trabalha desde 2007 na área e atualmente é repórter da Rádio Band News FM, de São Paulo. Natural de Taboão da Serra-SP, criou o site Samba & Pagode depois de um papo entre amigos do meio musical, assessores de imprensa, cantores e músicos.

Também recomendamos

Festa Junina da Portuguesa terá ‘invasão’ de Samba e Pagode na edição de 2015; veja agenda

Um dos eventos culturais mais populares e famosos do calendário anual da cidade de São Paulo, a tradicional Festa Junina Portuguesa teve início na noite deste sábado (30) e embalará os

Jorge Aragão lança “Sambabook” em comemoração aos 40 anos de carreira e se diz um “idoso legal”

*Por Gabriel Carvalho e Luiz Teixeira Um dos gigantes da história do Samba, Jorge Aragão lança nesta quinta-feira (21), no Tom Brasil, em São Paulo, a sua edição especial do

Arlindo Cruz é internado no Rio após sofrer um AVC em casa e ser encontrado inconsciente pela esposa

O sambista Arlindo Cruz passou mal na tarde desta sexta-feira (17) e foi levado pelo Arlindinho e pela mulher Babi para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), da Barra, Zona Oeste

0 Comments

Não há comentários ainda

Você pode ser o primeiro a Comentar este post